A criança e o consumo: Consumismo infantil – Parte 01


By Luiza Mattos | julho 26, 2011.

Consumismo infantilDevido aos diversos problemas enfrentados hoje pela manutenção de uma família, muitas vezes os pais, na busca incessante de ganhar algum dinheiro a mais para prover melhor o seu lar, acabar por negligenciar afetivamente os membros da mesma. Um deles é um problema entre a criança e o consumo.

Com isso, as dificuldades maiores ficaram para serem vivenciadas pelos filhos desta geração que passa por uma formação muito mais conturbada e com a ausência daqueles que poderiam lhe dar maior suporte. A formação das crianças, adolescentes e jovens vem sendo de forma “negligenciada” para que seus pais pudessem lhe prover o sustento.

Parece difícil a muitos pais entender que o fato de prover alimentação e condições de vida a seus filhos não é suficiente, pois os mesmos necessitam de muito mais que isso.

Consumismo infantilDeparamos-nos com um cenário mais perverso quando a esse filho depende única e exclusivamente da sustentação de somente um dos genitores. Como esse deve trabalhar para prover para ambos, o filho ou fica com algum parente próximo, ou na creche, ou simplesmente em casa sozinho. Em ambos os casos a criança fica suscetível a mídia ou a influência dos amigos que muitas vezes ditam o regulamento para ser aceito em determinado grupo.

CRIANÇA E O CONSUMO: INFLUÊNCIA DA MÍDIA

Quando estimulamos a criança ao consumo? Quando em casa, na presença de um familiar ou não, a criança passa a ficar muito mais tempo na frente de uma TV do que propriamente brincando com seus amigos ou brinquedos. E na frente dessa passa a receber passivamente tudo que lhe é imposto pela mesma, desde desenhos, filmes e novelas impróprios para a sua idade, e também comerciais que tem como objetivo atrair e fazer daquele ser infantil um consumidor de um produto que por ele mesmo não pode ser adquirido.

Consumismo infantilPor muitas das vezes a atividade de assistir TV não ser regulada nem pelos pais nem pelas pessoas que estão ao lado dessa criança, a influência que ela recebe é quase sempre negativa. Porém é muito mais cômodo ao responsável por aquele ser deixá-la a influência da televisão, por achar que estando dentro de casa estará livre de perigos. Mal percebem que os colocam de frente a um perigo maior. Levando a criança a querer consumir o que lhe mostrada pela TV.

Não um perigo que visível, mas um perigo que vai moldando o caráter da criança no lugar dos pais ou responsáveis. Esse perigo é passado por alto, pois na frente de uma TV, a criança deixa de incomodar os demais e esses tem a chance de fazer outras tarefas.

(Continua no próximo post…)


A criança e o consumo: Consumismo infantil – Parte 02

Violência doméstica: Infância explorada e torturada

Livros de pano – uma ideia educativa

Violência doméstica: Infância fracassada e vitimizada

Piscina de bolinhas – muita brincaderia para criançada